O enraizamento do Homem à Terra que o rodeia e ao seu Povo

A imagem do lince ibérico não foi por nós escolhida ao acaso. O lince representa, tal como a identidade dos Povos Europeus, uma espécie ameaçada. Nas últimas décadas, tem sido feito um grande esforço para recuperar os habitats desta espécie, nomeadamente no Vale do Guadiana e na Andaluzia. Facto que nos orgulha e que nos dá alento para continuarmos a fazer o nosso trabalho. Não há ninguém que queira proteger mais o Meio Ambiente do que os Identitários: afirmamos o enraizamento do Homem à Terra que o rodeia e ao seu Povo. Os Povos Europeus, onde se incluem os Portugueses, são resultado das terras que pisam, de que se alimentam e onde habitam, como também da sua ascendência, dos seus antepassados, cultura e das suas origens. Somos, por isso, fruto da Terra e do Sangue.
O nosso entendimento sobre o Ambiente vai muito para além daquele que a esquerda defende: não pretendemos impor visões anti-natura aos Povos, muito menos entrar em devaneios ambientalistas que vêm destronar a própria hierarquia da Natureza.
O Escudo Identitário defende por isso uma nova visão ecológica, que possa conjugar o desenvolvimento económico com a essencial protecção da Natureza e dos seus recursos, respeitando tradições étnicas e culturais dos diferentes povos, abandonado ainda o materialismo selvagem que não olha a meios para obter os tão desejados lucros.

Notícia: https://www.wilder.pt/…/nasceram-as-primeiras-crias-de…/